Acerca de mim

A minha foto
Porto, Porto, Portugal
Escritório - Edifício Les Palaces, Rua Júlio Dinis, n.º 204, 2.º, S 213, 4050-318 Porto Telefone / Fax: 226008709 E-mail: cabecaisdecarvalho@gmail.com

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Fúria portuguesa - FIFA - 18/11/2010

"
Com uma exibição de gala, Portugal desbancou a campeã mundial Espanha ao vencer o amistoso internacional desta quarta-feira no Estádio da Luz, em Lisboa, por incríveis 4 a 0. A maior goleada da história dos 37 confrontos entre os países ibéricos colocou mais uma vez em xeque o prestígio da Fúria, que depois de conquistar a Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 já havia sofrido outra derrota expressiva diante da Argentina (4 a 1).
A partida tinha contornos de festa em função da candidatura conjunta de Portugal e Espanhapara a Copa do Mundo da FIFA de 2018, mas a maior estrela da equipe de Paulo Bento tratou de fazer as honras da casa com uma verdadeira obra de arte que não entrou para o placar por ironia do destino. Aos 37 minutos da primeira etapa, Cristiano Ronaldo arrancou com a bola pela esquerda, deixou Piqué pelo caminho e encobriu o goleiro Casillas, mas um afoito Nani cabeceou numa tentativa desnecessária de completar o lance em posição de impedimento, invalidando o gol.
A jogada colocou fogo na partida. Inconformado com a anulação do lance, Ronaldo assumiu o papel de protagonista e fez o que quis com a bola. Aos 44 minutos, o camisa 7 partiu em nova incursão pela esquerda, desconcertou Busquets e chutou para a defesa de Casillas. Carlos Martins ficou com o rebote e abriu o placar para os portugueses.
Desmotivada, a Espanha ofereceu ainda menos resistência no segundo tempo. E pagou caro logo aos três minutos, quando Moutinho cruzou para Hélder Postiga completar de letra antes que a bola desviasse em Sergio Ramos para ampliar a vantagem dos anfitriões. Postiga repetiu a dose aos 23 minutos e mesmo com a vitória por 3 a 0 garantida Portugal não se acomodou. Já nos acréscimos, Hugo Almeida aproveitou um erro da zaga espanhola para construir o gol quarto e definitivo gol português, dando números finais à goleada."

Pesquisar neste blogue